MATÉRIAS

O fogão a lenha volta a ter papel de destaque nas casas e, até mesmo, apartamentos. Saiba como inserir um modelo em sua cozinha e relembrar os prazeres da comida de interior

De acordo com uma pesquisa recente, feita em maio deste ano, pela Pesquisa Nacional de Amostra de Domicílios (PNAD – Contínua), do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), dos 7,3 milhões de domicílios em Minas Gerais, em quase 1,7 milhão deles, as famílias usam lenha ou carvão para preparar seus alimentos, o que corresponde a 23,2% do total (em 2017 eram 19,6%).

Segundo a designer de interiores Fabiana Visacro, o fogão a lenha representa um estilo de vida que inspira um prazer maior pelos momentos da alimentação, do “fazer, produzir” e não “comprar”. É uma dedicação e um envolvimento que as pessoas têm com o processo de cozinhar. “É uma forma mais saudável de produzir o alimento para a família. É uma prática que talvez demande mais tempo e, por isso, também dá a ideia de maior presença, de maior envolvimento naquele processo de fazer e produzir e, assim, mais proximidade e senso de importância com as pessoas”, relata.

Muitas pessoas, mesmo optando pelo fogão a lenha, não abrem mão do modelo a gás ou elétrico. É possível conciliar os dois em casa? A profissional diz que sim. “O fogão a gás ou elétrico é mais prático e rápido e não depende de fatores como ter lenha em casa, por exemplo. Esteticamente, os dois se equilibram facilmente na bancada. O cooktop é o melhor modelo para essa mescla, pois não traz tanta interferência, já que o fogão à lenha, muitas vezes, tem um volume maior”, explica Fabiana.

E por falar em bancada, os modelos atuais de fogão à lenha estão tão evoluídos e diversificados que é totalmente possível ter um dentro de um apartamento. Existem alguns tipos que não soltam fumaça, por exemplo. O espaço para lenha é menor e as panelas ficam em cima de uma chapa. “O fogo não tem contato com a panela, impedindo que ela escureça, assim como as paredes por conta da fumaça. A lenha fica protegida e o fogo não passa pelas trempes do fogão. Esses fogões podem ser usados em apartamentos e, também, ser revestidos com materiais mais rústicos ou sofisticados, de acordo com a intenção do morador”, revela a designer.

Segundo Fabiana Visacro, os fogões a lenha atuais podem receber diversos tipos de materiais, como pinturas, cimento colorido, ladrilho hidráulico ou mesmo granito nas suas laterais. “Tudo vai da atmosfera que você quer criar. Pode usar o ladrilho hidráulico, por exemplo, para criar ambientes mais rústicos ou, então, fazê-lo com material mais neutro e mesclar com uma bancada ao lado para cooktop e cuba, feitos de um material mais sofisticado, como um nanoglass ou outros. O importante é estar ciente do tipo de revestimento, para que ele seja resistente ao calor. As opções são as mais diversas, como pedras, ladrilhos e cimentos”, encerra.

 

Fonte: Mão Dupla Comunicação


Copyright Portal Obra24horas | 2005-2020
Contato: (011) 3124-5324 | Termos de Uso