Obra24horas > Entrevistas >
ENTREVISTAS
 

A Associação Brasileira da Construção Metálica (ABCEM) congrega nacionalmente os fabricantes de estruturas e de coberturas metálicas de aço, as empresas de galvanização a fogo, e escritórios de arquitetura e projeto de engenharia. Entre os patronos da Associação estão as principais empresas produtoras de aço e fornecedores de parafusos e fixadores, de softwares, de máquinas e equipamentos.

Marino Garofani, presidente da ABCEM, concedeu uma entrevista exclusiva ao portal Obra 24 Horas e abordou o cenário, perspectivas e desafios do setor no Brasil. Além disso, o presidente revela se a recente decisão dos Estados Unidos de taxar o aço importado já afetou o mercado brasileiro.

Confira a matéria na íntegra:

 

Obra 24 Horas: Construções metálicas no Brasil são uma aposta ou realidade no Brasil?

Marino Garofani: São uma realidade. A construção metálica está presente em praticamente todas as obras e nos investimentos no Brasil. Infraestrutura, pontes, aeroportos, mobilidade urbana, nas áreas de energia, mineração, siderurgia, óleo e gás e, é claro, em obras esportivas como estádios e ginásios, que são as obras mais conhecidas. Todos conhecem os estádios da Copa, construídos em estrutura metálica, verdadeiras obras de arte, bem como os ginásios construídos para as Olimpíadas. Também obras e galpões industriais em estrutura metálica fazem parte do nosso panorama diário.

 

Obra 24 Horas: Quais os principais desafios enfrentados pelo setor no país?

Marino Garofani: Atualmente em função da crise que se instalou no pais, a construção como um todo teve a sua atividade reduzida. Devido à drástica redução de novos investimentos o setor encolheu significativamente, tanto na área industrial como habitacional. A indústria da construção metálica está atualmente com grande capacidade ociosa e aguarda a retomada do crescimento econômico. É importante salientar que as indústrias do ramo estão equipadas com o que há de mais moderno no mundo, tanto em maquinários como em sistemas de qualidade e de gestão da produção. O setor está preparado para fornecer e montar estruturas metálicas para qualquer obra de engenharia.

 

Obra 24 Horas: A taxação do aço e alumínio pelos Estados Unidos já afetou de alguma maneira os projetos no país?

Marino Garofani: A recente medida do governo dos Estados Unidos não afetou por enquanto o mercado brasileiro de aços estruturais. Acreditamos que a taxação na importação de aço pelos EUA seja aplicada preferencialmente ao aço de procedência chinesa, não sendo aplicada para os países da América Latina e União Europeia. Se de fato a medida atingir o aço brasileiro, acreditamos que não venha a influir a comercialização interna, pelo contrário, pode ser que provoque uma redução dos preços no mercado interno pelo aumento da oferta.

 

Obra 24 Horas: Quais são as expectativas deste segmento para os próximos anos?

Marino Garofani: É difícil fazer previsões seguras. No momento já se nota um aumento da atividade industrial, porem restrita à produção de bens de consumo. A indústria metalúrgica e automobilística ainda operam com escassez de encomendas e estão longe de voltar aos níveis de 2013. O mesmo vale para a construção civil, tanto industrial como habitacional. Mesmo neste ano de 2018, contrariamente ao que se esperava, a economia não está crescendo.

 

Entrevista concedida a jornalista Isabella Robaina com exclusividade para o portal Obra 24 Horas.

 
 
 
Copyright Portal Obra24horas | 2005-2018
Contato: (011) 3124-5324 | Termos de Uso