Obra24horas > Entrevistas >
ENTREVISTAS

Entrevista com Marcel Monacelli, um dos autores do projeto ganhador da “Nova CEAGESP”

 

Marcel Monacelli

Chamado pelos empresários do setor de "Nova Ceagesp", o moderno entreposto comercial privado que deve ser erguido na região de Perus, zona norte de São Paulo. Depois de um processo seletivo realizado por um comitê interno, o Novo Entreposto de São Paulo (Nesp) elegeu o projeto assinado pelos arquitetos Marcel Monacelli e Marcos Vieira, do consórcio Monacelli Vieira. 

Pelo desenho, estão previstas ruas largas, espaços para que caminhões estacionem a 45 graus e um fluxo organizado de modo que carros e caminhões não se encontrem dentro dos lotes. O ambicioso projeto contempla também um hotel com até 260 quartos, um centro comercial, ciclovia e uma futura estação de trem - que deve fazer parte da expansão da linha 7 da CPTM. A expectativa é que as obras comecem no fim de 2018 e que tudo esteja em operação no início de 2021.

 

 

O Obra24Horas conversou com o arquiteto Marcel Monacelli, um dos autores do projeto ganhador. Confira a entrevista completa: 

 

Obra24Horas: Como foi formado o consórcio com o escritório de arquitetura MV?

Marcel: A atuação junto ao mercado é muito semelhante no desenvolvimento de seus projetos, na análise e no entendimento das necessidades de seus clientes.

Com equipes qualificadas e proativas, a associação e a criação do consórcio MONACELLI VIEIRA surgiu naturalmente.

 

Obra24Horas: Qual a experiência dos escritórios em grandes projetos?

Marcel Monacelli: Os escritórios MVEP e Marcel Monacelli têm larga experiência em desenvolvimento de projetos Industriais e Logísticos e de planejamento de grandes áreas. A somatória dos projetos realizados entre os escritórios ultrapassa 30.000.000 de metros quadrados.

 

Obra24Horas: O que foi valorizado no projeto do Novo Entreposto de São Paulo?  Quais foram as maiores preocupações para que o projeto atendesse as necessidades atuais?

Marcel: Entender as necessidades dos Permissionários e os Fluxos internos de caminhões, Pessoas, Automóveis, entrada e saída de mercadorias e qual o futuro do Comércio dos produtos comercializados no Entreposto.

O projeto tem como preocupação criar espaços para comercialização adequados, armazenagem próxima aos Boxes, ruas internas largas, estacionamento de veículos leves independentes sem cruzar com veículos de carga e próximo dos entrepostos.

 

Obra24Horas: Na sua visão, de que maneira este projeto, depois de concluído, impactará na cidade de São Paulo?

Marcel: São aproximadamente 2.000 caminhões, 10.000 veículos, 20.000 pessoas que circulam na Ceagesp (Companhia de Entrepostos e Armazéns Gerais de São Paulo) por dia, isso gera um impacto enorme dentro da cidade de São Paulo sobrecarregando Marginais e as vias no seu entorno que também recebem trafego em função que no bairro estão instaladas várias atividades correlacionadas com o Ceagesp, como depósitos remotos de mercadorias, escritórios e fornecedores de equipamentos e assessórios.

Com a saída, toda a região da Vila Leopoldina passara por uma revitalização e no local do Ceagesp estuda-se a implementação de Centros de Tecnologia e Inovação e Empreendedorismo, entre outras atividades possíveis.

 

Obra24Horas: Quais diferenças você pontuaria entre a estrutura do Novo Entreposto e a da atual CEAGESP?

Marcel: A Ceagesp é um projeto de meados dos anos 60, com a fusão da Cagesp e do Ceasa dando origem ao Ceagesp que atendia uma demanda muito menor e para a cidade de São Paulo, tornando-se de tal relevância que passou a atender praticamente todo o território nacional. Mas sua configuração e práticas comerciais pouco alteraram e foram sendo criados puxadinhos que o descaracterizou totalmente, tornando-o obsoleto e ineficiente.

O NESP vem com um conceito inovador nas práticas comercial e de atendimento aos permissionários que são a essência do empreendimento. A proposta construtiva com padronização adequada a utilização e funcionalidade as suas funções.

Infraestrutura de serviços e utilidades com medições individualizadas, fontes renováveis e reuso, iluminação LED, entre outros recursos.

Haverá áreas reservadas a atividades comerciais correlatas que atenderão ao usuário e visitantes como centro comercial, restaurantes para o público, hotel etc.

 

Obra24Horas: Foi divulgado na imprensa que a Nesp queria “o melhor entreposto comercial do mundo”. Por que a proposta desse novo Entreposto é ambiciosa? O que se espera do projeto?

Marcel: A proposta é ambiciosa porque não é só arquitetônica, é um projeto de negócio com gestão privada, implementação tecnológica em instalações, controles energéticos, de parqueamento e de fluxos.

As transações vêm se tornado cada vez mais tecnológicas no qual o comércio eletrônico já é uma realidade e a logística na distribuição e expedição de mercadorias exige alta tecnologia e automação, que faz com que o empreendimento esteja em conformidade com a realidade atual e preparada para o futuro.

 

 

Entrevista concedida ao jornalista Clebson Moura Leal especialmente ao Obra24Horas.
 

LEIA TAMBÉM

ENTREVISTA
ENTREVISTA
Copyright Portal Obra24horas | 2005-2018
Contato: (011) 3124-5324 | Termos de Uso